segunda-feira, 2 de julho de 2012




Ontem por algum motivo, eu amanheci querendo ouvir "I Feel Love", da Donna Summer.
E confesso que ouvi várias vezes durante o dia. Essa música tem o poder de catapultar o meu astral, quase consigo transcender, ela é aquele tipo de música que faz a gente se sentir 'maravilhoso' mesmo dentro do banheiro dublando com a escova de pentear cabelo em frente ao espelho. Amo!
Uma de minhas primeiras lembranças de quando era criança, se relaciona justo com esta música. Lembro que deveria ter uns cinco anos, e enquanto era colocado para dormir, podia perceber a agitação na velha casa em que cresci (uma casa grande com imenso quintal e um pátio ao lado).
Aquilo era simplesmente fascinante, via as mulheres da minha família (todas muito vaidosas) se maquiando, se produzindo: sombras cintilantes, meias que brilhavam sob as sandálias de saltos agulha, e cabelos maravilhosos. Enquanto isso os homens também se produziam (todos os homens da minha família também eram muito vaidosos), calças 'boca de sino', tamancos altos, e cabelos crescidos; alguns de black power, outros (como o meu pai) com cabelos cortados desfiados na navalha.
Eles preparavam o som, o jogo de luz (risos), a bebida, os amigos iam chegando, eram muitos, já que a família era de nove irmãos, e ali mesmo na sala da minha casa acontecia a 'tertulha', assim eram chamadas também as discotecas. E nossa! Como aquilo era bonito, eu não chegava a ver a festa, pois logo caia no sono, e minha mãe não me deixaria permanecer em uma festa para adultos, mas do pouco que lembro, é tão forte! Donna Summer reinava absoluta. O meu pai a amava! Ele adorava a casa cheia de gente, cheia de amigos e de música.

Donna Summer sempre vai fazer parte das minhas boas lembranças de criança. E acho também que ela sempre será uma estrela, pois tinha brilho, glamour, sensualidade e estava produzindo música a frente do seu tempo, criando uma onda avassaladora chamada 'Era Disco'.

Por um bom tempo o mundo foi todo dela, e não será de se estranhar se em quarenta anos as pessoas ainda estiverem ouvindo a sua voz, sussurrante, magnética.




Ouvir Donna Summer me faz pensar na velocidade do tempo, o mundo só nos pertence por uma estação.




2 comentários:

  1. que perfeito!
    quis abraçar seu pai!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado querido!
    Ele era leonino como você, como metade de mim.

    ResponderExcluir