quinta-feira, 14 de abril de 2011

EU SOU UMA BICHA LOUCA


Essa é a Fortaleza Bela, vista de cima até engana, parece civilizada. Mas basta descer, e a gente vai se deparar com uma cidade, mal cuidada, imunda e dura. É preciso ser muito escroto para viver aqui.
Domingo,  voltando de viagem, e ainda no carro, vi alguém jogando lixo pela janela do carro da frente.
O que me levou a constatar: eu já estou em Fortaleza!
Na verdade, eu acho Fortaleza uma cidade linda, que eu amo tanto quanto Paris. O problema das duas cidades são as pessoas,  insuportáveis, tanto em Fortaleza, como em Paris. O que difere? Em paris, falta senso de humor e sobra individualismo, falei I N D I V I D U A L I S M O. E não individualidade. Em Fortaleza, sobra senso de humor, e falta I N D I V I D U A L I D A D E. Aqui o senso de humor chega a ser patético, e as pessoas muitas vezes não conhecem os limites do espaço do outro.
Vi essas fotos hoje pela manhã, achei lindas e quis postar algo bacana sobre a cidade, mas postar o que?
Agora a pouco, acabei de vir da academia, e mais uma vez alguém me lembrou que estou em Fortaleza: no caminho gritando várias vezes OLHA A BICHA LOUCAAAAAAAA. O que me fez pensar na dureza que é viver em Fortaleza. No Brasil. No país do Bolsonaro.
Eu sou uma bicha louca sim, eu adoro tomar no meu cu, eu admito. E eu ficaria muito feliz em ver os miolos dessas pessoas voarem pelos ares.
Ah, gente!!! Que que é isso??? Vejam o que acabou de acontecer no Rio, o caso desse cara que entrou na escola. Fiquei muito comovido com aquilo, mas ao mesmo tempo eu pensei: isso é CULPA DE TODOS NÓS, sem discriminação, todos nós somos culpados, a sociedade matou aquelas crianças, matou aquele cara como mata todo dia milhões de homossexuais, bissexuais, e afins no Brasil.
Sofri "bullying" na escola, mas muito pouco mesmo, porque sempre revidei, sempre bolei no chão atracado no pescoço de alguém. Sempre parti pra cima, nunca fiquei pelos cantos. E isso muito me ajudou a nunca ter pena de mim, a nunca me sentir menor, ou intimidado.
E não me venham me dizer que isso é violência.
Pra que violência maior que ser agredido pelo simples fato de alguém se achar no direito de impor que você seja igual?
Podem até um dia me matar, me esfolar, mas não vão fazer isso comigo calado, vou gritar, estrebuchar até o fim.

PASSAR BEM!!!



7 comentários:

  1. realmente amigo concordo plenamente com suas palavras, isso aqui ta ficando um caos, cheio de gente mal educada, muleca, as vezes até penso que estou em Salvador, pois achei a pior cidade que já conheci, mas mesmo assim amo demais essa cidade e não a troco por outra, não sei até quando rsrsrs, mas o slogan deveria ser esse "Fortaleza Bela Porcaria", pq é muito lixo, drogados nas ruas, buracos, enfim políticos que só pensam no seu bem-estar, esquecendo a minoria, fazer o que né? o Jeito é curtir o que ainda nos resta de belo...abção

    ResponderExcluir
  2. É o que eu tenho contastado nos últimos meses, Fauller. Me entristece, mexe tanto comigo, mas tanto o fato de Fortaleza estar se tornando o que está.

    Mas o que mais me assusta é: isso é só Fortaleza?

    Às vezes, antes de dormir, me imagino indo pra outro lugar, como se houvesse um outro planeta, um onde tudo é novo, tudo é mais "inocente", e a genbte pudesse ir e fazer as coisas serem resolvidas na base do "respeito", da "educação", da "paz". Do Amor. Fazer isso é tão bom quanto imaginar Amores. E doloroso também, confesso.


    Ao mesmo tempo que alimenta, destrói. Tenho medo das pessoas e mais medo ainda do que comanda as pessoas, essa coisa invisível que cruelmente parece ser mais forte que a razão da maioria.

    ResponderExcluir
  3. Dados da edição de aniversário de Fortaleza que saiu no jornal O Povo:
    LER é a opção menos citada de lazer dentro de casa dos fotalezenses. Enquanto 65,2% tem a opção VER TV como hábito de lazer em casa. 81,9% não estão satisfeitos com a vida cultural e artística de Fortaleza e 75,8% reprovam as condições de lazer da cidade. 97,5% não vão ao teatro.

    ResponderExcluir
  4. Ai Tiago, que triste, não sei como consigo viver aqui. Ainda vivo porque acho que tenho muitos afazeres aqui. Constatemente me pego pensando onde realmente quero viver.

    ResponderExcluir
  5. O problema não é a cidade. O problema está nas pessoas. Precisamos tratar sobre esses assuntos cada vez mais para começar a construir a cidade que existe nos nossos sonhos.Amo Fortaleza, ela não tem culpa da falta de ética, educação das pessoas , dos políticos.

    ResponderExcluir
  6. Entendo bem o que diz Silvia. Mas a cidade somos nós, não consigo dividir uma coisa da outra, uma é reflexo da outra, somos o lugar, e vice-versa.
    Hoje quando sai de manhã, estava na parada de ônibus e aconteceu de novo, fui insultado, qual é o problema dessas pessoas? Será que eu vou ser morto como essa travesti de Campina Grande, que foi covardemente morta na ultima sexta? Fico sinceramente com medo de sair nas ruas daqui, quase sempre. Medo de tudo, de ser morto em um simples assalto de celular, ou de ser morto por não ser igual aos porcos.

    ResponderExcluir